Skip to main content

Uma das principais característica e de um mundo hiper conectado é a diluição do tempo e do espaço nas relações humanas. Isso fez com que a curva de sobrevivência das transformações e movimentos ideológicos fossem reduzidas a meros instantes. Quem nunca teve aquela sensação de pânico sobre um assunto em um dia e sem perceber passou e deixou no limbo?

Pois é, um dos resultados disso vem de encontro com as nossas atitudes, ambições e propósito. De alguma maneira nos sentimos sem identidade, sem rumo ou apenas navegando em mares calmos.

Para esse momento, também foi dado o nome de VUCA (Volatility, Uncertainty, Complexity and Ambiguity), traduzindo, vivemos em uma Volatilidade de TEMPO, Incerteza ECONÔMICA, Complexidade de RELACIONAMENTO e Ambiguidade de SENTIDO.

Mas gostaria de trazer um assunto que é muito relevante para este momento e sua teoria tem mais idade do que a hiper conectividade mobile, trata-se do Efeito Borboleta:

O bater de asas de uma borboleta tão frágil e delicada em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque, Teoria do Caos.

A Teoria do Caos trata de sistemas complexos e dinâmicos rigorosamente deterministas, mas que apresentam um fenômeno fundamental de instabilidade chamado sensibilidade às condições iniciais que, modulando uma propriedade suplementar de recorrência, torna-os não previsíveis na prática a longo prazo – Wikipedia.

Sim, pequenas atitudes geram reações em cadeia que podem contribuir para uma grande transformação e o ideal é aproveitar essa diluição do tempo e construir para uma sociedade mais evoluída criando pequenos impactos em pequenas atitudes, esse deve ser o PENSAMENTO GLOCAL. Ter a convicção que pequenas ações, seja no seu bairro, cidade ou estado SEMPRE contribuem para algo muito maior.

Lembrem-se que a complexidade que vemos nada mais é que um conjunto de SIMPLICIDADES desordenadas, basta então, de maneira estratégica, coordená-las.

Então, foco no simples e nas soluções descomplicadas e fazer isso constantemente, como um processo, contribui para o tão almejado desenvolvimento.

Vivemos tempos líquidos. Nada é para durar. Sygmunt Bauman

Virar a chave mental do poder e controle é algo complexo, mas irreversivelmente necessário.

No próximo artigo falarei do ideal de desenvolver a sociedade que habita, uma metodologia necessária como contribuição para um mundo mais equalitário.

Grande abraço e até a próxima.

Quer saber mais sobre BRANDING? Fale conosco!

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]